Pular para o conteúdo

Menino de 6 anos salva avô após caminhonete cair em rio

Compartilhe:

A criança puxou  a cabeça do avô para fora da água, para que ele respirasse até a chegada do socorro.

 

O garoto de 6 anos, e o avô de 47, viajavam em uma  caminhonete, e no trajeto o veículo caiu dentro de um rio às margens da BR-364, em Mineiros, na região sudoeste de Goiás.

 

O menino puxou a cabeça do avô para fora da água, para que ele respirasse até a chegada do socorro, segundo o Corpo de Bombeiros.

 

“É emocionante ver que uma criança teve a consciência de salvar o avô desta forma. Se ele não tivesse feito isso, provavelmente o senhor tinha morrido afogado, porque, apesar de estar consciente, estava bem fraco.”

 

Wesley Santana Ramos, sargento que atendeu à ocorrência, o menino foi um “herói”.

 

“Ele me falou assim: ‘eu tive que levantar a cabeça do meu avô senão ele morria afogado, eu fiz certo?’ Fiquei emocionado e disse que sim”, relatou o bombeiro.

 

O neto viajava com o avô para a chácara da família em Portelândia, quando o homem perdeu o controle da direção e o veículo, uma caminhonete GM C-10, caiu no rio. A criança teve ferimentos leves, e o motorista sofreu uma fratura exposta,  de acordo com o sargento.

 

O caso aconteceu por volta das 16h, na ponte sobre o Córrego Coqueiros.

 

Ambos foram levados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Mineiros.

 

De acordo com  os bombeiros, a criança recebeu alta e o avô foi encaminhado para o Hospital de Urgências de Santa Helena. O último boletim médico da unidade, informou que o estado de saúde do homem é regular.

 

O sargento informou que antes da equipe do Corpo de Bombeiros chegasse ao local, um motorista que passava pela via viu o carro afundado no rio e desceu para ajudar. Ele se deparou com o menino puxando a cabeça do avô para respirar, o pegou e o colocou na carroceria.

 

“A caminhonete girou e caiu de ré no rio, sem capotar, com as rodas para baixo. E foi afundando, ficou com a carroceria com um pouco de água, mas ainda dava para manter o homem deitado imobilizado até a nossa chegada. Foi uma história incrível de cooperação, do menino salvando o avô, e de um desconhecido que parou para ajudar no salvamento”, relatou.