Pular para o conteúdo

Buraco negro desperta e dá arroto duplo após engolir gás cósmico

Compartilhe:

Um buraco negro acordou e “devorou” um gás cósmico, emitindo em seguida um arroto duplo, algo nunca antes registrado. Esse fato foi divulgado no Astrophysical Journal um periódico científico.

Os registros do acontecimento foram apresentados pela Nasa (agência do governo dos Estados Unidos) e mostram o momento em que o corpo celeste surge e engole o gás cósmico, dando depois um arroto duplo e retornando para o seu sono profundo em seguida.

A descoberta desse fenômeno raro aconteceu por causa de um telescópio lançado pela Nasa em julho 1999, esse teléscópio espacial é específico de raios-X e chama-se Chandra. De acordo com especialistas, esse buraco negro acordará depois de um longo tempo e sugará o que estiver ao seu redor.

Os buracos negros, depois de sugarem gás cósmico, emitem energia, mas isso não é novidade, o que está criando alarde é o fato desse fenômeno ter sido registrado e também o fato do corpo celeste ter ejetado essa energia duas vezes seguidas, como comentou a pesquisadora da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, Julie Comeford, em uma entrevista que foi concedida a BBC:

“Existem muitos exemplos de buracos negros com ejeções singulares, mas nós descobrimos uma galáxia com um buraco negro supermassivo que emitiu partículas por duas vezes”, comentou a pesquisadora.

 

Explicação sobre o fenômeno do arroto duplo

Durante a 231ª reunião da Sociedade Norte-Americana de Astronomia, em Washington (Estados Unidos), a pesquisadora Julia Comeford comentou, em um tom humorado, que os buracos negros não possuem bons modos a mesa, comendo e arrotando em seguida. Segundo ela, o arroto do buraco negro é algo comum, mas um arroto duplo consecutivo é algo raro.

Segundo a pesquisadora, os buracos negros costumam arrotar e depois entrar em estado de sono, o evento conhecido como ciclo “burping and naping”, ou seja, eles despertam e se alimentam e em seguida ejetam energia apenas uma vez.

Essa liberação dupla de energia pode ter ocorrido devido aos elétrons que se desprenderam dos átomos da massa de gás cósmico que o buraco negro sugou, então o resultado foi uma explosão de radiação numa galáxia vizinha.

Em nossa via láctea também existe um corpo celeste desse tipo, mas Julia diz que nosso planeta está a salvo, pois a Terra está longe o suficiente para não ser devorada por um buraco negro, do contrário, “estaríamos fritos”, disse ela.