Autismo: tudo o que você precisa saber

  • Por Redação Informatizando
  • 27/12/2017

Os distúrbios do espectro do autismo afetam as pessoas de forma diferentes, desde sintomas leves a graves, e são caracterizados por comprometimento severo e generalizado nas habilidades de comunicação e interação social.

Para os portadores de autismo também estão associados a comportamentos incomuns, repetitivos ou estereotipados e com uma capacidade imaginativa alterada.

O autismo determina uma condição psicopatológica para a qual uma criança não pode estabelecer relacionamentos com outros, é como uma separação entre a própria experiência e a realidade externa com a qual alguém perde contato. 

O autismo faz parte do grupo de distúrbios do espectro do autismo que também inclui:

 

·         Síndrome de Asperger

·         Síndrome de Rett

·         Transtorno de desenvolvimento penetrante não especificado de outra forma (PDD-NOS)

·         Desordem psicossocial das crianças.

·         Recentemente, no entanto, desta lista, tendemos a excluir a síndrome de Rett e a desordem desintegrativa da infância.

 

Ao contrário da pessoa autista com atraso mental, um indivíduo com Síndrome de Asperger (também chamado de autismo de alto funcionamento) tem um QI normal ou, às vezes, uma propriedade de linguagem superior e desenvolvida.

É possível reconhecer um filho autista através de alguns sintomas comportamentais característicos:

 

·         Não se familiariza com os outros e tem dificuldade em abrir mesmo com os pais

·         A criança prefere a solidão e isolamento

·         Ela não olha as pessoas nos olhos

·         É indiferente aos sentimentos mais básicos e a qualquer tipo de ritual ou convenção social

·         Muitas vezes mostra comportamento imaturo e é desprovido de imaginação infantil

·         A criança repete obsessivamente conceitos ou palavras, ou às vezes ele é capaz de desenvolver surpreendentes habilidades.

 

Com base em experiências clínicas, tratamentos psicológicos, pedagógicos e sociais, e terapia de reabilitação inicial em geral, representam estratégias que se mostraram mais eficazes na luta contra os distúrbios das pessoas com autismo, juntamente com a terapia comportamental cognitiva. 

A escola desempenha um papel central na gestão dos autista, mas as horas de apoio prestado por educadores e assistentes de comunicação são insuficientes e desiguais no território nacional, sendo necessário ampliar a assistência para as famílias e dispor de políticas públicas de qualidade voltado para as crianças portadoras de autismo.